Bomba Atômica provoca terremotos?!?!

por Eng. de Minas Mario A. Ortega Noriega
649 views

BOMBA ATÔMICA PROVOCA TERREMOTOS…A GUERRA QUE NÃO PODERÁ ACONTECER, COREIA DO NORTE E ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.

Os serviços geológicos da Rússia, China, Japão, Estados Unidos da América e outros, eles já sabem, que o Planeta não ira suportar, principalmente as bombas de fissão / fusão nuclear subterrâneas.

“Veja em tempo real os terremotos que estão ocorrendo no mundo, www.apolo11.com/display.php

Em 1985, especificamente em 23 de Outubro a França anunciou que iria detonar uma bomba atômica (teste) no Atol de Mururoa Polinésia Francesa, Fangataufa Arquipélago de Tuamotu, Pacifico Sul, Coordenadas 21°50’40” Latitude Sul, 138°55’43” Longitude Oeste distante da costa do Peru /Chile aproximadamente 8.000 km cujas coordenadas em Latitude Sul 12°2’35” Sul, Longitude 77°1’41.66″ Oeste (Lima), respectivamente, e pude verificar que ao longo do tempo, Testes Atômicos e Terremotos tinham uma correlação.

A França iniciou seus Testes Atômicos, na Polinésia Francesa Pacífico Sul, em 1966 e concluiu em 1996, nesta operação foram detonadas 196 Bombas Atômicas, sendo 46 testes atmosféricos e 150 testes subterrâneos. Nesse período houve 25 Terremotos no Peru e 20 no Chile.

Da mesma forma os Estados Unidos da América, realizou testes Atômicos no seu continente assim como no Pacífico Norte, especificamente, nas ilhas Marshall, Atol de Bikini, Coordenadas 11°30’ Latitude Norte, 165°25’Longitude Leste, foram dezenas de bombas de Hidrogênio.

Os Terremotos ocorrem há milhões de anos pela própria condição Geotectônica do Planeta e eles continuarão, é assim e será sua dinâmica, mas gerar vibrações, provocadas por detonações de bombas atômicas, ou por qualquer outro sistema podem precipitar terremotos, tremores, baseados na instabilidade das Placas Tectônicas.

No mesmo mês de Outubro de 1985, enviei uma nota ao Jornal Brasil, justamente relatando esta triste coincidência, Teste Atômico/Terremoto. Acompanho este fato à 32 anos, esta nota está anexa a seguir:

Depoimento do engenheiro Mario A. Ortega Noriega ao Jornal do Brasil em Outubro de 1985:

Após 32 anos acompanhando, e estudando profundamente a situação, cheguei a seguinte conclusão:

Independente dos mísseis balísticos intercontinentais, as máquinas de guerra de ambos os países, e etc, que podem ser neutralizados ou interceptados, o efeito de uma ou mais bombas de hidrogênio, subterrâneas devidamente direcionadas, com retardos de milionésimos de segundos, após iniciado a caminho das “Ondas Sísmicas”, estas não poderão ser detidas, no seu caminho fatal, e provocarão o desaparecimento da própria Coreia do Norte, Coreia do Sul, Japão, Chile, Peru, além da Califórnia, seguindo a Falha de San Andreas, que como o próprio Serviço Geológico dos Estados Unidos – USGS preconiza a probabilidade de 99% de Terremoto, denominado de “Big One” podendo ocorrer a qualquer momento no horizonte de 30 anos. No período de 30 dias após a detonação da bomba de hidrogênio houve 36 terremos, distribuídos ao longo do “Circulo de Fogo” Ring of Fire”, superando em mais do dobro, destes terremotos ao longo do mês.

Notícia recente de 25 de outubro de 2017.

Mais perigoso que bomba de hidrogênio: testes de Pyongyang’ despertam’ vulcão fortíssimo.

Ruínas de casas, ruas vazias e sol coberto por cinza. Não é o resultado da guerra nuclear na península coreana, mas são prováveis consequências da erupção do vulcão Baekdu, situado na fronteira entre a China e a Coreia do Norte.

A última vez que se despertou foi mais de mil anos atrás, e nos próximos anos os cientistas advertem sobre a probabilidade de nova explosão fortíssima. E os testes nucleares permanentes da Coreia do Norte são capazes de provocá-la.

Na figura abaixo é possível, ter uma ideia exata do local da explosão da bomba de hidrogênio subterrânea pela Coreia do Norte, no município de kilju, província de North Hamkyung, cujas coordenadas são 39°02’01” Latitude Norte e 125°45’15” Longitude Leste e exatamente a 9.000 km. Encontra-se a cidade de San Francisco – Califórnia – USA nas Coordenadas 37°46’46” Latitude Norte e 122°25’09” Longitude Oeste, praticamente uma cidade está defronte da outra.

O México esta situados nas coordenadas (cidade de Chiapas) 17°33’23,51” Latitude Norte, e 93°22’51,74” Longitude Oeste, uma distância de 12.026 km. da Coreia do Norte, e causou vários terremotos de 8,4 graus da escala Richter.

Neste confronto, dificilmente haverá ganhadores e a tragédia será universal, inclusive o Brasil considerado “assísmico” sentiu os efeitos da bomba de hidrogênio da Coreia do Norte, com tremores/terremotos nos Estados do Paraná, Rio Grande do Norte, Região Amazônica, Terremoto de 3.2 pontos é registrado a 2 km de Morrinhos, GO- BRASIL todos os abalos sísmicos, estão devidamente monitorados, por organizações especializadas do mundo todo. Em anexo os relatórios
sismográficos de cada terremoto e que apresento no fim deste Estudo.

“Se as ameaças do Sr. DONALD TRUMP Presidente dos Estados Unidos da América, que faria desaparecer a Coreia do Norte do mapa e Sr. KIM JONG-UN, faria desaparecer os Estados Unidos da América, respectivamente.” Especialmente a Califórnia.

Se estas ameaças se tornarem realidade o Planeta irá responder da forma mais catastrófica, provocando a destruição total e no mínimo a Coreia do Norte, Coreia do Sul e Japão irão desaparecer, da mesma forma, a Costa Oeste de EUA – Califórnia, Oregon, Washington , Alaska e México e principalmente os países situados no “Circulo de Fogo do Pacifico” “Ring of Fire”, Chile, Peru, Equador , Colômbia, Centro América, Fiji, Nova Zelândia e outros.

“ALEA JACTA EST”

Eng. Mario Antonio Ortega Noriega CREA 7547/D-MG / Brasil. marioortega@bol.com.br www.ekomine.com

Você pode querer ler também

Deixe um comentário

1 comentário

where to buy cialis 5 de February de 2024 - 4:44

I pay a quick visit everyday some websites and sites to
read posts, however this blog provides quality based writing.

Resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Esperamos que você esteja de acordo com isso, caso deseje, você pode recusar. Aceitar